terça-feira, 28 de julho de 2009

No calar da noite...


Saíra do trabalho.
Caminha nesta imensa/minúscula cidade no caminho que sempre toma pra retornar ao seu lar, tentando contactar alguém com o pretexto de esclarecer dúvidas. Ela não precisa desse pretexto. Pelo menos esperava que não precisasse. Conversam, ou pelo menos tentam conversar, mas desistem e marcam encontro mais tarde. Enquanto isso, ele percorre seu caminho de sempre, olhando a paisagem de sempre, vendo (talvez) as pessoas de sempre. Até acha graça de uma criança brincando com sua bicicleta na praça, a faz lembrar de seus tempos de infância, seus joelhos sempre vermelhos melados de methiolate, de tanto aprontar no seu imenso quintal.
-A minha casa também terá um imenso quintal, pensa.
Volta a realidade. Já está em casa na companhia de sua irmã que insiste em chamá-la ao cinema. Porque não ir? Lá se vai ver o que não se pode ser visto.
Ao findar a sessão, festa na cidade, mas uma chuva fina, fria e chata teima em cair. Melhor ir pra casa, decide.
Meio atrasada, chega ao encontro marcado. Já haviam lhe falado: -Não se entregue demais, mas isso já não era mais obedecido. Coisas que a incomodavam precisavam ser ditas, para tentar pôr fim aquela angústia.
Ao deitar-se para repousar, um sonho estranho vem lhe pertubar. Sonha com amigos e pessoas que nem conhece ainda. Desculpas são pedidas neste sonho, e de repente acorda. O que poderia significar aquilo?
Mensagens chateadas chegam ao seu celular, mas nada pode ser feito.
Volta a dormir, torcendo para que este sonho não volte a pertubar.

Namasté.


;*

7 comentários:

Rafael disse...

Esse seu banner é simplesmente perfeito.

Ainda hoje escreverei uma crônica com essa frase do seu banner. Hoje fiz uma foto bastante semelhante ao seu banner.

Náhira Brunelle disse...

Não entendi muito bem o que quis dizer com isso. MAs imagino algo.
Tudo vai ficar bem, sempre fica!
Tô chegaaaaaaaaaaando, lindona!
beeijo

Amanda disse...

A gente sempre se dá conta que é tarde demais pra nao se entregar quando já está complemente presa.

BoLaS disse...

O.o


sem comentários


bjao linda

Rafael disse...

...O filme com enredo mais bonito que eu já assistir fala, em seu foco narrativo, exatamente o poder de ser livre mesmo estando preso...

PS.: Parte da pequena crônica.

Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rô Castro disse...

Oi,Natália

Adorei a imagem da menina com a borboleta e o poema!
Sonhos ...Devemos sempre prestar atenção à sugestão deles .Quem sabe ? coisas do insconciente querendo aflorar.Coisas mal-resolvidas só vc mesma para descobrir .

Bjs
No coração!